Tratamento da Demência de Alzheimer

Tratamento da Demência de Alzheimer

Um dos novos marcos do tratamento da Demência de Alzheimer é o uso de imunobiológicos, medicamentos que simulam anticorpos e combatem uma das proteínas envolvidas nas alterações que levam à doença (beta amiloide).

O Lecanemabe foi liberado para uso nos Estados Unidos, ainda com custo elevado. O objetivo é lentificar a progressão da doença, atuando numa fase inicial. Até o momento, sabe-se que embora haja benefícios, não há uma superioridade significativa em relação aos tratamentos já existentes. Além disso, há o risco de efeitos colaterais relevantes como edema e sangramento no sistema nervoso central.

Lembrando o lema da campanha de 2023 para o mês mundial do Alzheimer “NUNCA É CEDO DEMAIS, NUNCA É TARDE DEMAIS”, vale destacar que, embora fiquemos sempre na expectativa de avanços da ciência, lembremos que há muito o que fazer do ponto de vista de prevenção: alguns estudos apontam o Alzheimer como o “Diabetes tipo 3” pela prevalente correlação encontrada com a resistência insulínica (o que é um fator de risco potencialmente modificável mediante melhoria do padrão alimentar e de atividade física). Com a doença já instalada, também há muito o que fazer do ponto de vista de CUIDADOS. Embora alguns digam “não há mais o que fazer”, os cuidados empenhados no dia a dia da pessoa com D. de Alzheimer são intensos, e passíveis de estudo, organização, orientação e gestão para que o paciente e seus familiares tenham o melhor desempenho e a melhor qualidade de vida possível nessa circunstância desafiadora. No que eu puder ajudar, conte comigo! Sou Érika, médica de família e paliativista atuando em atendimento domiciliar em Piumhi-MG e telemedicina @erika.camargos.

Fonte: Jornal Ponto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agendar cobertura